quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O poder das redes sociais

Sorria, você está sendo filmado!

É a cada dia mais comum nos depararmos com esta mensagem.
O avanço tecnológico traz em sua bagagem a facilidade de registro e monitoramento através de fotos e filmes, e muitas vezes em tempo real.
Basta colocar os pés para fora da porta para estar participando de um  BBB da vida real.
A começar pelos celulares onde as câmeras tornaram-se um acessório indispensável, estamos a todo momento expostos a um universo de paparazzi a nos seguir.
Para a grande maioria das pessoas este monitoramento indiscriminado é considerado uma invasão de privacidade. Muitos estão engajados na luta pelo direito de manter-se no anonimato. Porém, quando transportamos esta situação para o ambiente virtual, o que se vê é justamente o oposto.
As redes sociais são uma porta aberta para a exposição, mas isso pouco importa para os milhões de usuários que criam seus perfis em várias delas, mesmo sabendo que estão publicando suas informações para quem quiser ver. Engana-se quem acha que consegue manter seus dados visíveis apenas para um público restrito. Depois de publicadas na rede é muito difícil manter controle sobre suas informações.
Com a integração existente entre as várias plataformas é muito simples saber o que uma pessoa está postando, curtindo, seguindo ou comentando. Não é preciso ser nenhum detetive para saber por onde ela anda navega e traçar-lhe um perfil . Afinal, este é o propósito destas plataformas: criar uma única rede.
Isso é ótimo e desejável no âmbito corporativo, onde vale toda forma de exposição para vencer a concorrência. As empresas podem e devem aproveitar o potencial de divulgação destas redes para se aproximarem de seus clientes.
Mas e quanto aos indivíduos, será saudável esta exposição? Pergunto não só em termos pessoais, como também profissionais. Atualmente os processos de seleção têm incluído em suas etapas a verificação da vida virtual dos candidatos antes da contratação. Portanto não adianta comportar-se "profissionalmente" no Linkedin e sair causando no Twitter por exemplo.
Tenho certeza de que este é um processo sem volta, mesmo porque, não dá para sair descurtindo, ou despublicando tudo o que há na rede. O que precisamos é ter um comportamento na internet, semelhante ao que temos quando lemos a frase: Sorria, você está sendo filmado, saber que do outro lado do monitor tem sempre alguém nos observando...

E você o que acha a respeito? Como se comporta na rede? Deixe seu comentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, opinião ou sugestão de postagens e ajude-nos a melhorar este espaço.